4 de maio de 2015

11º Aniversário das Aventuras Cariocas


Data: 01/05/2015.

11 anos se passaram ... 

Parece que foi ontem, frio na barriga, medo de errar a trilha, um monte de gente confiando em mim e não havendo chance para erros.

Parece que foi ontem, mas já se vão 11 anos percorrendo trilhas, cachoeiras, praias, ruas, ilhas, mirantes e até trilhos da linha do trem. 11 anos olhando para o céu na noite anterior da aventura e preocupado se iriamos amanhecer com sol ou com chuva. 11 anos mandando emails, criando comunidade no orkut, página no facebook, blá blá blá. Muitas histórias, muitas amizades, muitas botas e muitos sonhos realizados.
"Lembro-me como se fosse ontem, de chegar em ilha grande sexta a noite, com uma garrafa de 5 litros de água na mão e começar a dar 'a volta na ilha' (com previsão de retorno no domingo a tarde)".
Fico vendo as nostálgicas fotografias que registraram todos esses momentos da história e vejo como muita coisa passou. 

Sim, a situação hoje é bem diferente de 11 anos atrás, hoje as trilhas ora vazias encontram-se super lotadas, a mata já não é mais tão verde e o canto dos pássaros já não se ouve mais tão de perto. Hoje passo por montes e montanhas ao longe e vejo o verde dando espaço a condomínios de casas, vejo cachoeiras se transformando em cascatas, vejo nascentes secando e sim, dá um aperto no coração. 

Lembro-me como se fosse ontem, de chamar um ou dois amigos para trilharmos em Ilha Grande e me chamarem de louco. Acordar cedo final de semana? Ser comido vivo pelos mosquitos? Fazer o que dentro do mato? Mas aos poucos, vendo as fotografias dos lugares sem igual que tive o prazer de conhecer nesses 11 anos, alguns amigos começaram a mudar seus discursos, afinal, "pareciam legais" essas aventuras.

Assim como eu, existiam dois ou três grupos de pessoas organizando "passeios ecológicos", como falávamos à época. Hoje em dia não consigo mensurar a quantidade de "empresas" que prestam esse serviço. Há quem condene esse prática, pelo lado ambientalista até entendo, o impacto ambiental é gigantesco, mas como ir contra o jargão - "a natureza é de todos". Pelo lado empreendedor, viver e sobreviver nesse emaranhado de oportunidades é complicado, muitos sugam a natureza sem dar nada em troca, muitos não respeitam regras básicas e simples de convivência com a natureza. 

Exemplificando, no Rio de Janeiro temos (tínhamos) as "Praias Selvagens de Guaratiba", as quais tive o prazer de conhecer ainda selvagens. Não sei que nome da-las hoje em dia, mas de Selvagens e Virgens só restaram as fotografias ao longo desses 11 anos.

A verdade é que, ao contrário do que muita gente diz, a realidade atual das trilhas não é culpa única e exclusivamente dos atuais praticantes, eu e alguns outros precursores desse hobby (e para alguns profissão) somos tão culpados quanto esses novos praticantes. 

A partir do momento que passamos a convidar nossos amigos, a partir do momento que passamos a divulgar a existência desses atrativos naturais, a partir do momento que começamos a fomentar e incitar essa descoberta lá fora ... somos tão culpados quanto essas pessoas. 


Por mais que tenhamos hoje, um pensamento diferenciado e que ao longo de muitos anos venhamos alertando sobre os impactos conhecidos, não devemos e não podemos nos achar melhores dos muitos que hoje "estreiam" nessa prática, afinal eles são hoje o que já fomos no passado. Devemos sim, continuar alertando e procurando alternativas para evitar esse desgaste mais acelerado que estamos presenciando foto após foto, vídeo após vídeo, postado hoje nas redes sociais.

De qualquer forma, espero que 11 anos não tenham sido em vão e que mais 11 anos venham por aí. Ainda temos espaço para muitas amizades, muitas história e principalmente, realizar muitos sonhos.

Parabéns para cada um de nós, que ao longo desse tempo, fez ou faz parte dessa história.





  

0 comentários:

Postar um comentário

 
;